(…)

Carlos Reys sabe transmitir vivências apaixonadas, revisitando rimas poéticas em composições formais e cromáticas.

Nas “Varinas” metamorfoseadas na dimensão do próprio mar; nos “Carregadores” irmanados com o trabalho; nas “Mulheres”, almas gémeas duma psicologia comum, existem certezas intrínsecas, o mesmo que dizer verdade.

Mulheres, homens e animais pairam no espaço do sonho, matizado em nuances duma paleta pródiga, que valoriza a temática ancestral da mensagem pictórica.

Contactei pela primeira vez com a expressão artística de Carlos Reys. Mentalmente fui interlocutor cultural e vivi com prazer a percepção daquele entendimento, que nos deixa saudade.

Carlos Reys deixa envolver-se pela certeza da forma e abstracção da côr e nesse envolvimento feliz, impõe uma visão diferente… que é a sua, na nobreza da criação estética.

Emanuel Correia – Professor de História da Arte